Alimentação Natural para Cães e Gatos – A opinião de quem aderiu e não voltou atrás

 

Oi pessoal! Tudo na Vibe? Hoje estamos trazendo um artigo que fala um pouquinho sobre um assunto que muitas pessoas tem dúvidas e trouxemos algumas questões para ajudar a entender melhor o funcionamento da alimentação natural para cães e gatos, também chamada de AN. Esse tipo de alimento vem se tornando cada vez mais popular na vida de muitos humanos e seus pets, mas existem diversas dúvidas que acabam impedindo o conhecimento do que fazer e como fazer. Vale a pena? O custo é viável? É muito trabalhoso? Essas e outras questões poderão ser respondidas nesse artigo por pessoas que são adeptas há muito tempo e de formas diferentes.

A primeira coisa que precisamos entender é que existem formas diferentes de alimentação: crua com ossos, crua sem ossos e cozida, sendo esta última uma opção que pode ser comprada através de empresas especializadas do ramo. No nosso Dog Vibe Club temos três perfis que são adeptos a este tipo de alimentação, que são o Boss (Buldogue Francês) que consome os três tipos de AN, a dupla Sherlock (Beagle) e Lakshmi (West Terrier) que consomem a AN cozida e o Puppy (SRD) que consome a AN comprada pronta no mercado Pet, e fizemos uma pequena entrevista com as tutoras para saber como é o dia-a-dia de cada uma e também para sabermos o porquê de escolherem esse tipo de alimentação e o que ela trouxe de resultados na vida dos pets. Bora lá!

 

O começo da adaptação

 

A Carol é a tutora do Boss e ele, hoje com 3 anos de idade, começou com 9 meses pelo fato de que não se adaptava a nenhuma ração. Além disso, passou por alguns problemas, apresentando alergias e quadros de vômito. Ela na verdade já tinha uma experiência anterior, porque antes do Boss, teve um Cocker Spaniel que apresentou problemas no fígado em 2009/2010 e foi onde ela conheceu a Dra. Sylvia do Cachorro Verde, que é um Blog/Escola especializado no assunto. Apesar disso, não houve tempo suficiente para começar. Para o Boss, ela resolveu fazer um curso antes e entender mais sobre o assunto, o que levou a fazer mais três cursos com a Dra. para fazer com o máximo de perfeição.

A Tati é a tutora do Sherlock e da Lakshmi, e iniciou a AN quando ele tinha 3 anos e ela 1 ano. Eles comiam ração antes, mas a ideia da mudança veio por conta de um problema de saúde do seu Rottweiler (falecido) que teve um câncer e sua veterinária na época suspendeu a ração e inseriu a AN na vida dele. O resultado foi muito bom naquele momento e acabou prolongando a vida dele em ao menos mais 2 anos sem que a doença voltasse a se manifestar. Apesar desse resultado, ela precisou se preparar para iniciar com os cães atuais, porque precisava organizar para poder fazer o processo de forma eficaz.

A Flaviana é a tutora do Puppy, e iniciou a AN no início de 2016. Ele foi resgatado em 2013 e tinha aproximadamente 2 anos de idade, e nessa época ele estava se alimentando de ração. Apesar disso, ela optava sempre pelas mais naturais, sem produtos considerados cancerígenos, artificiais ou com transgênicos. Como ele tinha algumas dificuldades para comer, algumas vezes era necessário acrescentar algum produto industrializado que se aproximava da comida natural.  “Antes, fiz todos os exames sugeridos nas pesquisas que fiz, para constatar que ele estava saudável, antes de iniciar com a AN. Cães com problemas de saúde, precisam de dietas específicas.”

 

A montagem do cardápio

 

A Carol começou montando o cardápio de acordo com as orientações que recebeu nos artigos e cursos e também com o acompanhamento de uma nutróloga. “Se o cão possui alergia e/ou problema de saúde, a nutróloga precisa fazer esse cardápio para ser mais assertiva nessa dieta” comenta. Essa parte é importante para que se possa ter também um acompanhamento da melhora na saúde do cão.

Já a Tati levou sua dupla para uma consulta com sua veterinária para poder iniciar esse processo de forma que ela orientasse a melhor maneira de começar. A veterinária que montou o cardápio deles de acordo com as características de cada um.

A Flaviana, por sua vez, buscou informações em sites especializados no assunto e conversou com a veterinária do Puppy, que possui outra especialidade, mas sugeriu que prestasse muita atenção nas empresas e nos veterinários responsáveis pela formulação dessas comidas. Ela aproveitou e entrou em contato com os veterinários e zootecnólogos das empresas que fornecem esse tipo de produto.

 

Organização e preparo

 

Essa é a parte teoricamente mais difícil para quem prepara, porque precisa ter uma organização adequada para ter menos trabalho e mais eficiência, inclusive armazenando os alimentos. Cada tutora tem sua forma de organizar o seu “estoque” e isso pode variar muito por várias questões. No caso da Flaviana, ela compra a AN já prontinha e apesar de ter um custo mais elevado, ela elimina o trabalho de preparo.

Para o Boss, a Carol costuma comprar alimentos para 15 ou 30 dias dependendo do mês. “Ele dominou o freezer aqui de casa, reservamos um dia do mês para preparar: tudo é cortado, pesado nas porções indicadas para o peso ideal dele e posteriormente armazenadas no freezer convencional.”

Para a dupla de sucesso, a Tati organiza de forma semanal. “Faço a AN deles uma vez por semana. Já preparo a comida para 8 dias e deixo congelada no freezer. Sempre no dia anterior eu tiro as marmitas que serão consumidas no dia seguinte. No dia que vou preparar a AN, compro os ingredientes que vou usar.” Ela ainda conta como faz no seu processo de preparo: “Começo cozinhando as proteínas, costumo usar dois tipos de proteínas diferentes cada semana (eu revezo entre carne bovina, suína, peixe e aves). Enquanto a proteína vai cozinhando vou picando os legumes e carboidratos. Uso de um a dois tipos de carboidratos por semana e os legumes de 3 a 4 tipos por semana. Sempre procuro revezar os tipos de proteínas, legumes e carboidratos porque cada um oferece um benefício diferente. Depois de tudo cozido, faço a pesagem e vou montando as marmitas da semana.”

No caso da Flaviana, ela compra e recebe semanalmente em casa. A AN já vem cozida e congelada, pois ela não tem tempo para realizar o processo de preparo em casa. Essa opção ajuda nesse ponto, mas é sempre importante conhecer o produto que está adquirindo. “A diferença nos sites variavam em relação ao porte, peso, saúde e atividades que o cão pratica para definir a quantidade ideal da alimentação.” – relata ela.

 

Sobre as porções

 

O Boss pesa em torno de 11 Kg e a porção diária gira em torno de  500g, dos quais fazem parte: ossos carnudos, carne, vegetais e vísceras. A porção diária é dividida em duas refeições ao dia, podendo ser dividida em mais variando de acordo com o apetite dele.

Já no caso da dupla, Sherlock pesa 17 kg e come 700 gramas por dia, dividido em duas refeições. A Lakshmi pesa 8 kg e come 320 gramas por dia, dividido em duas refeições. Além disso, no lugar de petiscos industrializados ela oferece frutas e ovos de codorna.

Para o Puppy que pesa 15kg, sua refeição diária é de 700g, divididas em duas porções. Tem variedades de proteínas e além disso, também come frutas, ovo cozido e iogurte natural como complementação, além de utilizar vitamínico. Puppy tem porte médio e tem atividades regulares, saindo 3 vezes ao dia, brincando 1 vez por dia solto num Parcão.

 

Dificuldades do processo no dia-a-dia

 

Pra Carol, no começo foi difícil o dia das compras, cortar e organizar tudo. Hoje já acostumou com o processo em si. O Boss desde que chegou sempre se alimentou “mal” por não aceitar nenhuma ração, ou fazer mal pra ele. Já na AN não tem esse problema, ele come tudo e lambe o pote!

Pra Tati o mais difícil é a preparação dos legumes e carboidratos, porque é preciso picar tudo. Com o passar do tempo, ela garante que se pega o jeito e então vai ficando mais tranquilo e menos demorado de preparar. Mas a alegria deles no momento que vão comer, vale todo o trabalho.

Pra Flaviana não houve dificuldades no processo devido a facilidade de comprar a alimentação pronta, somente no início das pesquisas que foi feita uma busca de informações importantes.

 

Acompanhamento veterinário

 

O veterinário do Boss super apoia a modalidade de alimentação natural, então ele acompanha a sua rotina. Monitoram a saúde dele com exames semestrais, dentre eles exames sanguíneos normais e alguns específicos para monitorar também alguns nutrientes.

A Tati leva Sherlock e Lakshmi para um checkup geral duas vezes por ano, para ver se está tudo certo com a alimentação, se é preciso inserir algum complemento ou mudar alguma coisa.

A Flaviana este ano está pesquisando uma veterinária especializada em nutrição para acompanhar todo esse processo. Puppy faz exames anuais para acompanhar sua saúde.

 

Vantagens da AN na saúde notadas por cada tutora

 

Carol: “Além da questão dele se alimentar muito melhor, não só a questão de qualidade de alimento também de ele comer mesmo, só temos pontos positivos: controlamos facilmente alergênos alimentares, visto que basta substitui-lo por outro alimento nutritivamente equivalente; a digestão é mais eficaz; as quedas de pelo diminuíram para somente as sazonais, sem falar no brilho e maciez; e além disso tudo, temos plena certeza que o Boss tem uma alimentação selecionada de verdade e exatamente com os nutrientes  que necessita para ter uma vida saudável.”

Tati: “Uma das coisas que eu senti muita diferença foi a pelagem que fica muito mais viva e brilhante, o problema de pele do Sherlock melhorou muito; fezes com menos odor; melhora do hálito, maior disposição para brincadeiras e passeios e eles nunca recusam a comida.”

Flaviana: “Além de as fezes terem melhorado bastante, que com a ração eram sempre moles, o odor é incomparável. O organismo absorve mais a comida, diminuindo o volume também. Isso hidrata melhor o cão. Nunca mais ele deixou nenhuma migalhinha no pote! O valor ainda é muito mais alto que qualquer ração super Premium, e eu ainda não confio 100% em todas as empresas que estão vendendo AN no mercado. Importante estar sempre atenta! Não me arrependo de ter trocado a ração pela AN em momento algum. Puppy se alimenta muito feliz, de forma mais saudável e é isso que importa no final.”

 

Conclusão

 

Apesar das três terem processos diferentes, elas concordam no quesito de que, se você tem interesse em introduzir a AN na vida do seu pet, você deve antes de tudo procurar um profissional especializado no tema que poderá indicar a melhor dieta com o melhor resultado. Cada pet é um pet, então o que pode ser bom para um, pode não ser para o outro. Existem dietas específicas para vários tipos de doenças, obesidade, então é fundamental passar pelo veterinário ou nutrólogo especializado antes.

Pra gente da Dog Vibe, fica um muito obrigado as tutoras pelo tempo gasto em passar essas valiosas informações que com certeza ajudaram muitas pessoas que tem o desejo de iniciar a AN e as vezes não tem noção do assunto. E para quem quer conhecer um pouco mais sobre AN, vale muito a pena a pesquisa de informações em sites especializados ou diretamente com profissionais do ramo e nós esperamos que esse artigo tenha sido bastante interessante até mesmo para os não adeptos.

Gostou, curtiu, comentou, compartilhou!

11 Comentários
  • Flavi
    Criado em 17:10h, 02 Maio Responder

    Nossa, adorei as entrevistas! Como fui participante de uma delas, achei muito interessante ver o ponto de vista de outras pessoas, que fazem a AN em casa, e já a algum tempo. O ideal realmente seria poder fazer para saber exatamente o que tem na alimentação do seu filhote, mas, como eu nao tenho essa disponibilidade, utilizo mesmo a compra pronta. Que venham mais e mais coisitas interessantes por aqui! Ta muito legal esse Blog.

    • Nuno
      Nuno
      Criado em 11:09h, 04 Maio Responder

      Sua participação foi excelente! Continue nos acompanhando!

  • CAROLINA PELIZARO RODRIGUES SILVA
    Criado em 19:24h, 02 Maio Responder

    Muito legal o post!

    • Nuno
      Nuno
      Criado em 11:09h, 04 Maio Responder

      Obrigado Carol! Vamos em frente nos artigos legais! =)

  • Juliana
    Criado em 08:56h, 03 Maio Responder

    Parabéns!!! Muito interessante esse assunto e a maneira como foi abordado nesse artigo! Adorei!

    • Nuno
      Nuno
      Criado em 11:08h, 04 Maio Responder

      Oi Ju! Adorei o elogio! Continue acompanhando nosso blog que teremos muitas coisas desse nível!

  • Tatiana Moura
    Criado em 09:48h, 03 Maio Responder

    Adorei a matéria, um tema muito interessante e que vai ajudar muita gente que tem curiosidade sobre a AN!!
    PARABÉNS !!!

    • Nuno
      Nuno
      Criado em 11:07h, 04 Maio Responder

      Oiii Tati! Adoramos a sua participação! Foi excepcional! Em breve novidades….

  • Doró / @naomibull
    Criado em 10:32h, 04 Maio Responder

    Muito bacana a matéria! Já tive vontade de introduzir AN na dieta da Naomi, mas ainda não me organizei para isso. Importante a orientação de sempre consultar um especialista para não faltar nutrientes na dieta do filhote!!

    • Nuno
      Nuno
      Criado em 11:06h, 04 Maio Responder

      Oi Doró! É muito importante ter as informações certas mesmo! Obrigado pela participação!

  • Camila
    Criado em 12:49h, 07 Maio Responder

    Muuuuito legal ver os detalhes diferentes de cada um, tenho muita vontade de mudar a alimentação do Pipe pra AN, mas hoje em dia está um pouco difícil, mas esta nos meu planos pra um futuro próximo! Faço que nem a Flavi e opto por rações que são as mais “naturais” possíveis. Amei as entrevistas. E melhor ainda é ver a ênfase dada no detalhe de que todas tiveram acompanhamentos por veterinários especializados, nenhuma fez da própria cabeça, ou seja, da forma realmente responsável e com muito amor aos seus filhotes! 😍

Participe Comentando

0